<body>


INFOMATION
.LisandraMoraes

Há quem diga que ela não passe de um monte de palavras. Há quem espere dela um monte de atitudes. Há quem a não conheça, há quem finja não conhecer. Há quem a siga, há quem se afaste. Há quem a abrace a há quem a faça chorar… Ela chora por não saber como dizer E escreve por não saber como chorar. Ela descreve o que não é E aposta no errado. Vive entre fases E te vicia lentamente. A abstinência te assusta, mas isso a diverte


TAGBOARD
hear your voice, baby.


AFFILIATES
Depois dos Quinze Beyound the obvious Mastonde By Garotas Just Lia Unha bonita
ARCHIVES
  • Maio 2009
  • Junho 2009
  • Julho 2009
  • Agosto 2009
  • Setembro 2009
  • Fevereiro 2010
  • Março 2010
  • Abril 2010
  • Maio 2010
  • Julho 2010


  • Date / Time : sábado, 15 de maio de 2010 / sábado, maio 15, 2010
    Nunca tive vocação para boa menina politicamente correta.

    Nunca consegui escapar de estar envolvida em algum tipo de problema.
    Nunca consegui ter uma vida calma e sempre fiz merda.

    E, na real, demorou até pra entender que eu gosto de fazer merda.

    Porque, se você pensar direito, se todo mundo fizesse tudo certinho, nunca nada ia ter mudado na vida de ninguém.

    Admirável Mundo Novo.

    E, de boa, eu já me decepcionei o suficiente com as pessoas pra me importar com o que elas pensam ou não sobre o que sobra de minha vida.

    Já fui utópica e idealista o suficiente pra abastecer quarenta anos adiante.

    Agora me reservo o direito à descrença.

    É estranho pensar assim.

    Muita coisa perdeu o sentido pra mim.

    E essa perda não foi nada suave.

    Enfim...

    A gente cresce com a idéia de que tem que acreditar em alguma coisa, mas não imagina que a maior certeza de nossas vidas é que essa coisa, qualquer que seja ela, vai ser arrancada da gente sem piedade.

    E é assim que a gente se torna adulto.

    Perdendo os sonhos.

    E só o que resta pra gente, nesse sentido, é o intervalo.

    Fora isso, seguir em frente causando o maior estrago possível.

     

    Marcadores:


    Date / Time : sexta-feira, 7 de maio de 2010 / sexta-feira, maio 07, 2010
    No fim destes dias encontrar você que me sorri, que me abre os braços, que me abençoa e passa a mão na minha cara marcada, na minha cabeça confusa, que me olha no olho e me permite mergulhar no fundo quente da curva do teu ombro. Mergulho no cheiro que não defino, você me embala dentro dos seus braços e você me beija e você me aperta e você me aquieta repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem.